segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

DIETA LITERÁRIA POR RAFAEL GOMES

Olá exploradores culturais, tudo bem com vocês?
Espero que estejam bem, antes de qualquer coisa quero me desculpar pelo sumiço nos últimos dias, final de semestre na faculdade é uma correria daquelas e deixa a gente exausto e sem tempo pra nada.
Estou super atrasado com as postagens do blog, preciso postar resenhas, falar sobre o filme Amanhecer Parte 2 e também do filme Os Intocáveis que vi ontem e adorei, espero a compreensão de todos pois o blog vai voltar ao ritmo habitual.

Para o post de hoje estou trazendo a reprodução de um texto escrito pelo cineasta Rafael Gomes, achei muito interessante e espero que gostem.

DIETA LITERÁRIA

Que a literatura é um reflexo da alma humana, os professores e as campanhas de incentivo à leitura nos dizem. Mas a verdade é que só acreditamos pra valer naquilo que aprendemos por nós mesmos. E eis um fato irrefutável: assim como um cosmético poderoso, a literatura pode mudar a sua vida!
E nem sempre é seguindo o caminho dos "clássicos". Com 15 anos, eu me impressionei mais com O Ventre, de Carlos Heitor Cony, do que com O Apanhador no Campo de Centeio, de J.D.Salinger, um livro adolescente por excelência. Encontrei na obra brasileira a expressão de uma rejeição que me arrebatou com mais força do que o nilismo do livro americano.
Na época da escola, Philip Roth fez por mim (e pela minha educação moral, cívica e até sexual) muito mais do que Machado de Assis, o cara mais genial e moderno que há!
E assim a história vai longe. Depois de ler Hamlet, nunca mais se para (de ler Hamlet, mas também Shakespeare em geral). Ali e nas peças de Tchecov está um tratado espetacular sobre família, frustração e consciência subjetiva.
Já as heroínas de Emma, Razão e Sensibilidade e Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, me esclareceram de modo delicado sobre as sutilezas íntimas das relações sociais (e da alma feminina).
E como explicar o que Lolita, de Nabokov, ilumina em nós sobre o desejo e a obsessão?
Parece "cabeçóide" demais? Não é. É simplesmente saboroso, tal qual um banquete de doces que nenhuma dieta vai censurar. Se Madame Bovary, de Flaubert, é a melhor cheesecake já feita, a poesia de Drummond são suculentos cookies de chocolate. E Clarice Lispector e Thomas Bernhard são irresistíveis tortas de limão com pouco açúcar.
Ou seja, é só se deliciar!

E VOCÊS LEITORES, SE DELICIARAM COM ESSE POST?

15 comentários:

  1. Oi, Bruno. Atrasos no blog acontecem. Temos que nos dedicar aos estudos e a outras áreas da nossa vida. Entendo muito bem. :)
    Adorei o texto! Muito bom mesmo. Ótimas descrições e comparações. Grandes obras e escritores!

    Beijo.
    http://navirj.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorei ter seu comentário por aqui Nadia :)

      Excluir
  2. Olá,Bruno.
    Bacana o post,adorei! :D
    Beijo
    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Bruno.
    Que show esse texto *_*
    É verdade, depois de ler Hamlet não se para mais ♥ haha
    E ainda cita Jane Austen? Babei demais nesse texto haha
    Beijinhos
    http://fulanaleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá Bruno! Faz um tempão que eu não venho te fazer uma visitinha, ne? haha, mas quem é vivo sempre aparece! hahaha

    Adorei o texto, os pontos foram muito bem colocados! :D

    Bom, tem resenha de autor brasileiro lá no blog, se puder retribuir a visitinha, ficarei muito feliz, e ah, o que acha de tornarmos blogueiros parceiros?

    Beijos,

    Camila

    http://raiseyourheadandread.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Liga não Camila,também sumi nos últimos tempos...

      Excluir
  5. Olá de novo ^^
    Gostei do texto, só o título já é bem interessante, a forma como você o desenvolveu então, ainda melhor, gostei das comparações ^^

    Abraços,
    Revolução Nerd

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é o título já desperta interesse logo de cara né?

      Excluir
  6. Hhauahauaha!
    Amei Bruno
    Super criativo!
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias
    http://livroterapias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Gostei da maneira como você se referiu aos clássicos da Jane Austen, foi sensível!
    Beijos

    Andressa
    http://umdiaacadalivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oii Bruno ,
    A postagem é muito boa , pois achei fantástico você afirmar que a literatura muda as nossas vidas, porque muda MESMO.
    Agora sempre que puder vou ler as suas postagens .
    Beijos ,
    Diana :B http://fontedorefugio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Bruno ainda não tinha lido nada parecido! kkkk
    Mas ficou muito legal. E concordo com a Mara ai de cima, a literatura muda nossas vidas e mudou a minha.

    Abraços!
    http://www.sonhosresenhas.blogspot.com

    ResponderExcluir